Vida de Atleta #2 – Maratona! Que medo!
abril 17, 2017
Vida de Atleta #3 – Primeira maratona e primeiro susto!
abril 25, 2017
Mostrar tudo

Lifestyle Ansiedade – Dicas para ansiosos

Bom, que esse é um blog de lifestyle isso você já sabe. Mas já pensou aí na coisa que mais usa durante o dia? E não, não estou falando dos seus novos oxfords e nem de sua flatform. Tô falando da sua cabeça mesmo, essa daí que matuta o dia inteiro sem parar!

Pois é, talvez ela esteja como a minha, usando um acessório tão desagradável como uma calcinha enfiada na bunda: a ANSIEDADE! E é por isso que eu tô colocando na roda..vai que acontece com você também?

Posso falar que nesse assunto, eu tenho certa experiência. Desde travar a vida por causa dela (a ansiedade, não a calcinha), até duelar mentalmente com o meu eu ansioso para ver quem vence. O placar é, lamentavelmente mais a favor dele, do que meu.

E é por isso que eu vim aqui te contar sobre isso, que é O MAL DO SÉCULO, mas que complica a vida pakas!

Mas partindo do começo: O que é ansiedade?

Numa pesquisa rasa pelo Google, a gente acha mais ou menos isso daqui: preocupação, tensão, medo ou pavor e qualquer outro sentimento ruim em excesso. Bom, então metade das pessoas que conhecemos estão ou são ansiosas, certo? Right!

Eu, como vivo ansiosa (o que é um pavor, acredite) sempre penso, qual seria o contrário de estar ansiosa. Tipo, como a minha vida seria se eu não estivesse usando essa blusa gola rolê quente, chamada ansiedade.

Como seria a vida sem ela? Uma vida sem medo, sem tensão, sem dores?

Alguns especialistas dizem que como a ansiedade vem do medo, e o medo por sua vez é o que nos mantém vivos isso de certa forma é uma coisa “boa”. Já que por seleção natural, nós, os medrosos, tínhamos mais cuidado nos tempos das cavernas, e aí fomos sobrevivendo.
Mas como isso me ajuda hoje em dia? Como eu posso me assegurar de todos os meus medos, se muitos deles estão fundamentados em situações que só existem na minha cabeça?

Doido isso, né? Mas se você é um ansioso monstrão mesmo, vai ver que mais da metade dos seus medos são infundados. Como os meus! #vamos #deitar #na #br

 

Tenho pensado muito nisso nos últimos tempos e em como posso ajudar a pessoas como eu, talvez só dando o meu exemplo, de que, dá pra sobreviver sim com ela, e ser feliz (ai meu pai que medo do caralho de ser feliz, nem tenho roupa pra isso)! 

Mas aqui vão algumas dicas bobas que tenho usado pra minha vida e que podem ou não te ajudar!

– Respire e pire!
Não adianta lutar contra a piração, deixa ela vir em paz! Põe ela no lugar dela mesmo! Observa o que te deixa mais na pilha e o que te acalma. Se tem um lugar que a gente pode ver tudo com mais clareza é no meio do furacão! Então, se não tem como evitar, surfe na onda!

– Avise as pessoas
É bom deixar claro para os mais chegados que você é uma pessoa ansiosa. Assim, quando aquele momento interminável de crise chegar, quem sabe essas pessoas não te ajudem a achar uma saída. Juro, que já teve muita gente que me ajudou só de me ouvir, ou de ficar ali do meu lado.

– Traga suas armas
Você é a pessoa que mais entende da sua cabeça. Se arme contra ela! Como eu luto uma batalha diária com a minha ansiedade, já sei de que maneiras (algumas) ela começa e como eu posso dar STOP, com alguns gatilhos. Pode ser ouvir uma música, escrever, me concentrar em uma série, ou simplesmente imaginar que eu estou espancando alguém que materialize a ansiedade. Acredite, saio relaxada!

– Depois da tempestade, anote
Claro que tem crises incontroláveis. Aqueles que parecem que vão te tirar mesmo do eixo! Eu sempre anoto mentalmente como aquele gatilho começou. Por exemplo: estava pensando muito numa viagem, e comecei a passar mal. (isso é normal, pra mim). Daí eu vou pensando em tudo que aconteceu da última vez e como aquilo foi infundado e não deu em nada, e em como eu sofri. É bom ter seu próprio background de neuras pra consultar, o cérebro não é tão criativo assim!

– Aproveite a catarse
Essa crise vai passar! Seja ela de uma hora ou dois dias! A coisa que tá te tirando do sério vai acontecer (ou não) e daí você sairá disso esgotado, mas vivo! Esse momento é catártico, então explore ao máximo pra chorar, gritar, rir e se descabelar. São poucas as pessoas que acreditam que podem fazer isso! Aproveite!

Eu não sou especialista, nem de longe, e estou falando da minha experiência própria e de como tem me ajudado. Mas se você faz outras coisas, conte aqui nos comentários, sou toda ouvidos.

 

E se você quiser se sentir um ansioso bem normal também, recomendo o livro hilário do Scott Stossel – Meus tempos de ansiedade. As crises dele e sua busca pelo tratamento é de deixar muita gente como eu, no chinelo (ainda bem!)

 

 

 

Luciana Landim
Luciana Landim
Eu sou uma entusiasta da internet, que ama ler e fazer blogs. Sou falante, extrovertida e #NaHumilda. Música deveria ser meu sobrenome, e estou sempre em busca de aperfeiçoar meu estilo pessoal, mesmo que isso signifique ser ainda mais perua, ou não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *